Reciclagem

Agosto 27 2011

Coca-Cola, dona do empreendimento, teve melhora em aspectos técnicos para abrir as portas da planta novamente

Após encerrar suas atividades em março, inclusive com demissão de funcionários, a fábrica de reciclagem de garrafas PET da Coca-Cola, em Spartanburg, no Estado americano da Carolina do Sul, será reaberta na última semana de agosto.

O projeto de 50 milhões dólares foi inaugurado em 2009 com planos de se tornar a maior planta do mundo em reciclagem e processamento de PET tipo 1 para transformá-lo em novas garrafas. Mas a fábrica, uma joint venture entre a Coca-Cola e a empresa de reciclagem de plásticos United Resource Recovery Corporation (URRC), teve uma série de problemas técnicos, que variaram do alcance à qualidade necessária para produzir alimentos que serviriam de matéria-prima para o processamento das novas garrafas, até o fato de as novas garrafas, muito leves, caírem da esteira de produção.

Mas a URRC passou os últimos seis meses trabalhando para modificar equipamentos e melhorar os processos de reciclagem. Assim, a planta foi reajustada para a nova abertura.

"Estamos reiniciando a planta", disse Carlos Gutierrez, presidente e CEO da empresa ao site PlasticsNews.com. "Nós nos sentimos muito bem sobre o resultado dos nossos esforços de readequação. Esta planta é projetada para produzir alimentos para a produção de resina".

A fábrica de Spartanburg foi construída para ajudar a Coca-Cola atingir sua meta de distribuir dez por cento de garrafas de plástico com conteúdo reciclado nos Estados Unidos, mas a fabricante de bebidas só foi capaz de usar cerca de cinco por cento de material reciclado nos últimos cinco anos.

fonte:http://www.ecycle.com.br/

publicado por adm às 16:29

Agosto 26 2011

A Mazda apresentou uma tecnologia que irá resultar na reciclagem automática dos para-choques de seus veículos. O programa começa com a fabricação do para-choque traseiro da minivan de oito lugares Biante. A peça tem 10% de material reciclável em sua composição. O intuito da Mazda é tornar a produção automobilística mais sustentável e reduzir as emissões de gases poluentes em todos os estágios de atividades da empresa.

A marca japonesa se transforma na primeira fabricante de automóveis do mundo a reciclar com êxito para-choques de veículos que já chegaram ao fim da vida útil. As peças serão transformadas em matéria-prima para a fabricação de componentes para carros novos. A expectativa da fabricante é recuperar de 1 a 2 toneladas de para-choques velhos no primeiro ano do projeto. Cada tonelada de sucata gera 2.300 novos para-choques traseiros. 

A tecnologia tem fácil aplicação e consiste na eliminação do metal e da pintura do para-choque. Os outros componentes passam por tratamento químico para se transformarem em plástico de resina bruto – material pronto para ser utilizado na fabricação de novos para-choques. Antes da tecnologia da Mazda, a reciclagem requeria que os acessórios de metal fossem separados a mão. 

fonte:http://motordream.uol.com.br/

publicado por adm às 20:08

Agosto 19 2011

A Sociedade Ponto Verde anunciou hoje o lançamento de um concurso de fotografia, uma iniciativa que decorre entre 29 de Agosto e 10 de Outubro e que pretende recolher o olhar da população portuguesa em relação à reciclagem dos resíduos de embalagem.

O concurso, que comemorará os 15 anos da Sociedade Ponto Verde, está aberto à participação de fotógrafos amadores e profissionais, sendo que cada um terá a sua categoria específica.

Cada participante deverá candidatar entre uma a cinco fotografias originais da sua autoria, através do sitewww.objectiva2011.com, disponível a partir de dia 29 de Agosto.

“O sucesso da reciclagem de resíduos de embalagem em Portugal, comprovada pela evolução anual da retoma das quantidades, só tem sido possível graças ao esforço realizado pela população portuguesa. O concurso é uma forma de envolver ainda mais os portugueses na reciclagem dando-lhes a possibilidade de dar a conhecer os seus pontos de vista sobre esta área tão importante para a sustentabilidade do País”, salientou Luís Veiga Martins, director-geral da Sociedade Ponto Verde, a entidade responsável por organizar e gerir a retoma e valorização dos resíduos de embalagem em Portugal.

As fotografias representativas do universo da reciclagem de embalagens, nomeadamente dos materiais vidro, plástico, metal, papel/cartão e/ou madeira, serão avaliadas de acordo com a originalidade, impacto da imagem e qualidade fotográfica.

Os trabalhos serão apreciados por um júri constituído pela Sociedade Ponto Verde, Augusto Brázio (Kameraphoto) e pelo Instituto Português de Fotografia. Os prémios variam entre os 250 e os 2500 euros em vales FNAC, além da possibilidade de exposição dos trabalhos nas lojas da marca.

fonte:http://www.greensavers.pt/

publicado por adm às 23:05

Julho 27 2011

A Sociedade Ponto Verde (SPV) retomou mais de 290 mil toneladas, nos primeiros seis meses do ano. Este valor representa mais 5,2 por cento, em comparação com igual período do ano passado. 

O vidro, juntamente com os plásticos, foram dos materiais que mais cresceram neste período. 

Segundo comunicado da Sociedade Ponto Verde, nos primeiros seis meses de 2011, foram recolhidas e enviadas para reciclagem 290 mil e 613 toneladas de resíduos de embalagens (RE). O crescimento da recolha do vidro foi o que mais se destacou no primeiro semestre deste ano, com este material a registar um aumento de 15 por cento face a igual período do ano passado, atingindo perto de 100 mil toneladas.

Comparativamente com 2010, registou-se um crescimento de 5,2 por cento de embalagens recolhidas em relação ao período homólogo do ano anterior.

O aumento da recolha das embalagens usadas de plástico também se destacou nos primeiros seis meses do ano, registando um acréscimo de 10,3 por cento, ou seja, mais 3 mil 648 toneladas.

Quanto a objectivos, os responsáveis revelam que, "no final deste ano a SPV espera ultrapassar os bons resultados de 2010, ano em que foram recolhidas 667 mil toneladas de resíduos de embalagens".

O comunicado explica, ainda, que, "com aquele valor, a SPV cumpriu, um ano antes, a meta global de reciclagem prevista para o final de 2011", que estava estabelecida nos 55 por cento das quantidades declaradas pelos seus embaladores. O ano de 2010 fechou,l assim, com 59 por cento.

O vidro foi o único material que, 1 ano antes, não cumpriu a sua meta específica, pelo que, já este ano, a SPV "reforçou a campanha de comunicação em relação a este material", dizem.

Um dos projectos em curso é a iniciativa Reciclar é Dar e Receber em que, por cada tonelada de vidro enviada para reciclagem em 2011, a SPV entregará um euro para a criação de salas de estudo em Instituições Particulares de Solidariedade Social". O projecto beneficiará o estudo de cerca de 600 crianças provenientes de famílias desfavorecidas.
fonte:http://tvnet.sapo.pt/
publicado por adm às 21:38

Julho 20 2011

No país dos moinhos-de-vento e das bicicletas, 95,3 por cento de todos os veículos em fim de vida (VFV) foram reciclados no ano passado. Os dados foram apresentados em Maio pela Auto Recycloing Nederland BV (ARN), empresa privada que gere o final de vida dos veículos na Holanda, e revelam a longa tradição holandesa na gestão deste fluxo.

O sistema de gestão de VFV na Holanda arrancou formalmente em 1995, cinco anos antes da Directiva europeia neste domínio. O funcionamento desta política surgiu na sequência de um impulso dado pelo Ministério do Ambiente, mas também pelo acordo entre as organizações da própria indústria, que está por detrás da criação da ARN.

Mas a percentagem de reciclagem não se deve apenas à política gestão dos VFV. A própria ARN reconhece que o crescimento de 10 por cento entre 2009 e 2010 se deve, em grande parte, à alteração da legislação sobre incineradoras. A partir de Março do ano passado, as unidades incineradoras com estatuto “R1” passaram a receber shredder waste, o que se tornou uma alternativa à deposição em aterro dos VFV.

Para o funcionamento financeiro do sistema de gestão dos VFV, o primeiro proprietário do veículo tem que pagar uma taxa no momento da compra. Mas o proprietário final também tem todo o interesse em garantir que há uma gestão adequada da viatura. Isto porque porque se o proprietário não obtiver um certificado de destruição por parte do desmantelador autorizado, terá que continuar a pagar as taxas e os seguros associados.

Apesar de não existir um incentivo fiscal ao abate de veículos, o governo holandês – em associação com a indústria automóvel – prevê um prémio entre 750 e mil euros para a substituição de veículos antigos por novos. A cidade de Amsterdão vai mais longe. Aqui, a troca do usado por novo tem um prémio adicional entre 250 e mil euros.

fonte:http://www.ambienteonline.pt/

publicado por adm às 22:03

Julho 18 2011

As latas usadas como embalagem para bebidas são “totalmente recicláveis”, num processo que necessita de menos energia que outros materiais, e podem ser utilizadas para fabricar vários produtos como uma peça de um carro ou uma janela.

 

O presidente da Associação de Latas de Bebidas, Santiago Millet, explicou hoje à agência Lusa que "é muito mais fácil reciclar" latas do que vidro ou PET (plástico), outras formas de acondicionar bebidas, além de "precisar de um consumo menor de energia".

Por outro lado, "o resíduo de metal tem sempre valor, pode ser sempre reciclado", disse, realçando a importância de reciclar e reutilizar, evitando recorrer a materiais virgens de modo a proteger os recursos naturais.

Atualmente, Portugal, tal como Espanha, já apresenta níveis de reciclagem de metal acima da meta apontada para 2012 pela União Europeia, de 65 por cento.

Do total de latas usadas na Península Ibérica, 75 por cento têm como destino a reciclagem e o seu material é reutilizado. "Na maior parte das vezes, sai mais barato o material reciclado, mas depende das condições do mercado", admitiu o presidente da associação. 

 

A reciclagem é uma das vantagens apontadas pela Associação para utilização do metal como embalagem de bebidas, mas a resistência e comodidade no transporte e no armazenamento, tanto nas prateleiras dos supermercados, como na despesa e frigorífico dos consumidores, também é realçada.

"Para todos atores envolvidos, a primeira vantagem é a reciclagem. A lata é metal, pode ser aço ou alumínio, e ambos são totalmente recicláveis e tantas vezes quantas quisermos", especificou Santiago Millet.

"O metal tem valor, pode ser sempre reciclado, o resíduo de outras embalagens não tem valor porque é mais barato comprar matéria-prima virgem que comprar matéria-prima depois da reciclagem", frisou.

A recolha das embalagens de metal é feita através dos pontos de lixo selecionado, mas também no lixo indiferenciado. Aqui é mais fácil retirar o metal que outras substâncias pois pode ser usado o processo magnético. 

 

Para o presidente da associação, seria importante aumentar o número de "pontos verdes", locais de recolha de embalagens, numa altura em que "a consciência ambiental está a crescer muito, principalmente nas gerações mais novas".

No entanto, "devido à situação económica, a quantidade de lixo está a baixar, as pessoas estão a consumir menos", acrescentou.

Dados da associação apontam para um total de retoma de embalagens de metal de 46.243 toneladas em 2010, dividido em 44.776 toneladas de aço e 1.467 toneladas de alumínio.

A Associação de Latas de Bebidas integra fabricantes de latas de bebidas presentes em Espanha e Portugal, fornecedores de matérias- primas e indústrias relacionadas com esta embalagem.

fonte:Diário Digital / Lusa 

publicado por adm às 21:16

Julho 18 2011

A Resinorte recolheu, no primeiro semestre deste ano, mais de 180 mil toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU), dos quais 15 mil toneladas de cartão, plástico, metal e vidro foram enviados para valorização. O restante foi encaminhado para Tratamento Mecânico e Biológico e para aterro sanitário.

Os valores são considerados positivos para a empresa, que considera que ainda há muito a fazer, tendo em conta que cada habitante continua a produzir acima de 1kg de lixo todos os dias. Para reforçar a necessidade de separação de resíduos, a Resinorte vai lançar no mês de Agosto uma campanha de sensibilização. 'Separar para Valorizar’ promove um conjunto de acções específicas para os comerciantes da região.

fonte:http://www.ambienteonline.pt/

publicado por adm às 21:12

Junho 26 2011

O alumínio continua sendo a matéria-prima mais reciclada no Brasil. A pesquisa Indicadores de Desenvolvimento Sustentável 2010, do IBGE, apontou que 91,5% das latinhas de alumínios são recolhidas para reciclagem. Bem atrás, estão as embalagens PET (54,8%), o vidro (47%), as latas de aço (46,5%) e o papel (43,7%). A reciclagem das embalagens de leite longa vida e de sucos está em último lugar (26,6%). Esse tipo de material começou a ser reciclados nos últimos dez anos e está em processo de crescimento. Leia mais

 

A reciclagem do alumínio, que no Brasil é uma das maiores do mundo, acima dos Estados Unidos (54,2%) e Japão (87,3%), caiu em 2008 em relação a 2007, quando o índice atingiu o pico de 96,5%. Apesar da diminuição, o percentual ainda é alto e reflete o valor de mercado da sucata de alumínio, uma das mais bem pagas pelo mercado.

De acordo com a Associação Brasileira do Alumínio (Abal) uma tonelada de latinhas (1 quilo equivale a 75 latinhas) custava R$ 2,780 mil na segunda semana de agosto. “É por conta disto que o papel, o vidro, a resina PET, as latas de aço, as embalagem longa vida, de mais baixo valor no mercado, apresentam índices de reciclagem bem menores”, diz o documento. Um dos responsáveis pela pesquisa, Judicael Clevelario acrescenta a que a separação de materiais ainda é associada à imagem do catador, normalmente uma pessoa pobre ou desempregada, e não foi incorporada na rotina do brasileiro.

Para os próximos anos, a avaliação é de que com o estabelecimento de preços mínimos para os materiais, além dos avanços das leis ambientais, da educação e da coleta seletiva, o percentual de reciclagem possa aumentar para todos os materiais. Como fator de estímulo à prática, a pesquisa destaca que a reciclagem reduz o consumo de energia e a extração de matérias-primas, evitando a emissão de mais gases de efeito estufa. As embalagens Tetra Pak (empresa de processamento e envase de alimentos), em especial, diminuem a emissão de ozônio, porque dispensam refrigeração.

fonte:http://www.consuladosocial.com.br

publicado por adm às 21:05

Junho 24 2011

A Sonae Indústria vai organizar, no dia 30 de Junho, um seminário sobre a importância da reciclagem da madeira, no âmbito do Ano Internacional das Florestas e na Semana da Reciclagem da Madeira, que se realiza de 27 de Junho a 1 de Julho.

O “Reciclar Madeira – da floresta urbana ao móvel” realiza-se no Hotel Pestana Palace, na Sala Belém, em Lisboa, das 10h às 12h30, com a presença de representantes de entidades ambientais, empresariais e da fileira florestal, esclarece o Naturlink.

Na Semana da Reciclagem da Madeira, a Sonae Indústria vai promover a sensibilização em relação ao tema, alertando para a necessidade urgente da adopção de uma estratégia integrada. A iniciativa faz parte da série de actividades que o grupo tem vindo a desenvolver no âmbito do Ano Internacional das Florestas.

fonte:http://www.greensavers.pt/

publicado por adm às 00:45

Junho 17 2011

Metais raros e essenciais para a tecnologia verde são mais desperdiçados do que se imagina. Os celulares, por exemplo, concentram estes metais, porém a frequência com que são reciclados ainda está abaixo do ideal, segundo relatório da ONU.

Segundo uma reportagem da "New Scientist", um relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente mostrou que muitos dos metais fundamentais para a tecnologia verde estão em gadgets, que são jogados fora ou esquecidos “trancados numa gaveta”.

Foram 60 metais examinados pelo estudo. Mundialmente, 34 dos metais têm taxas de reciclagem de 1% e 18 são mais de 50% reciclados. Na classificação dos menos reciclados estão o telúrio, o gálio e o lítio, os dois primeiros são usados em celulares que utilizam a energia solar. Já o lítio, é normalmente encontrado em baterias, como as de celular, por exemplo.

Estes metais ainda não são muito reciclados, porém essa  medida será imprescindível, segundo o relatório. É muito mais simples e sustentável reciclar estes objetos que já estão em uso e assim economizar energia e recorrer menos à mineração. O autor do estudo, Thomas Graedel, da Universidade de Yale, afirma que “muitos metais podem ser usados e reutilizados”.

Segundo o jornal O Globo, existem duas razões principais para que esse tipo de reciclagem ainda seja pouco praticada. Primeiro porque a produção dos dispositivos eletrônicos não visa a reciclagem, sendo poucos os fabricantes que percebem esta possibilidade. Outro motivo apontado é o fato de que muitas pessoas ficam com seus aparelhos por anos a fio. Esta última torna-se menos provável à medida que a troca de celular é cada vez maior e em um curto prazo de tempo.

O problema não está somente na pouca reciclagem destes materiais, mas também na falta de preocupação com as tecnologias verdes em geral. É claro que coletar mais metais para reciclagem é muito importante para começar a resolver este problema. No entanto, Graedel lembra a importância de atualizarmos nossa tecnologia de reciclagem. Isto porque cerca de 70% dos metais que teriam como destino a reciclagem se perdem no meio do processo.

A maior parte dos componentes de um computador, por exemplo, são recicláveis, mas falta tecnologia suficiente para que ocorra este reaproveitamento. Segundo a Associação de Recicladores de Lixo Eletroeletrônicos, países como Alemanha, Estados Unidos e Índia, reutilizam até os metais dos chips.  A Associação é uma ONG ambiental com sede em Londrina, Paraná, que faz a destinação correta do lixo eletrônico.

Outra ONG que atua neste setor é a PC Vida, em Petrópolis, Rio de Janeiro. Esta organização também faz a coleta e destina os materiais eletroeletrônicos para os locais devidos, ou seja, ainda não há no Brasil uma indústria de reciclagem do lixo eletrônico. O que ocorre são algumas iniciativas e ações locais, que significam uma ajuda, mas oferecem poucas chances de expansão neste tipo de trabalho. 

fonte:http://www.ciclovivo.com.br/

publicado por adm às 22:50

Tudo sobre a Reciclagem
pesquisar
 
links