Reciclagem

Junho 05 2011

A reciclagem do asfalto que é substituído nas rodovias e a adição de borracha extraída de pneus descartados estão contribuindo para a redução do impactoambiental  nas obras rodoviárias e reaproveitando milhares de pneus inservíveis. As técnicas de reciclagem do pavimento e aproveitamento de borracha neste processo já fez da concessionária CCR RodoNorte, no Paraná, a empresa que mais utilizou a técnica na América Latina, em mais de 600 quilômetros. O investimento em reciclagem do asfalto e seu enriquecimento com borracha já somaraminvestimentos superiores a R$ 290 milhões.


Isso quer dizer que nos trechos entre Apucarana e Curitiba e Ponta Grossa a Jaguariaíva, administrados pela empresa, praticamente toda a estrada já foi reconstruída com a técnica. Neste processo, a máquina rasga o pavimento da rodovia e imediatamente o mistura com pó de pedra e cimento. Tudo é processado no interior do equipamento e é depositado novamente no solo, onde vai servir de base para um novo asfalto – o asfalto ecológico, que está impedindo que milhões de toneladas de pavimento extraído das rodovias poluam a natureza em bota-foras, pois é reutilizado no próprio local.

 fonte:http://www.tnonline.com.br/

publicado por adm às 21:10
Tags:

Abril 23 2011

Quando o assunto é gerar economia de maneira sustentável, agregando valores e gerando emprego, Mato Grosso é um dos Estados mais visado pelas empresas nacionais e internacionais. Exemplo disso é a empresa Recicla Sol, que recebeu incentivo fiscal do governo do Estado, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme) e já está em fase de implantação.

Com a reserva de área de 6 mil m², a empresa está sendo instalada em um terreno do Distrito Industrial de Cuiabá. As obras já estão avançadas. O investimento inicial é de aproximadamente R$ 6,7 milhões com atividades de reciclagem de pneus que não tem mais utilidade (inservíveis).

De acordo com a equipe técnica da Sicme, a empresa tem pretensão de adquirir mais dois terrenos para trazer parte da unidade que está previamente instalada em galpões alugados em Várzea Grande. Assim se tornará um único empreendimento concentrado no Distrito Industrial.

A equipe informou também que a Recicla Sol já está enquadrada no Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic) e, após assinatura do Termo de Compromisso, terá redução no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), para aquisição de maquinários.

Utilizando a técnica chinesa de reciclagem de pneus inservíveis (pirólise) a Recicla Sol produzirá e comercializará óleos combustíveis. De acordo com o Secretário de Estado da Sicme, Pedro Nadaf, a indústria tem capacidade de gerar 480 toneladas (t) de óleo, 480 t de carbono preto (negro do fumo) e 20 t sucata de aço. “A unidade deve gerar cerca de 30 empregos diretos e 90 indiretos”.

O superintendente de indústria da Sicme, Sérgio Romani, acrescenta que Mato Grosso ganha com a instalação da empresa, uma vez que a indústria aumentará o emprego no Estado e contribuirá com o meio ambiente. “O Governo tem incentivado grandes empresas a virem para Mato Grosso. Isso gera satisfação para quem mora aqui. Com a chegada destes empreendimentos a economia do Estado se fortalece”.

 

TECNOLOGIA

A Recicla Sol é a empresa exclusiva da América Latina com a tecnologia oferecida. Fazem parte da sede da Companhia o instituto de análise, laboratórios térmicos, bases para testes piloto, experimental, fábricas e equipamentos. Com coordenação de 14 empresas cooperativas de equipamentos, o grupo possui um grande número de peritos em quebra da borracha pelo processo de pirólise, indústria petroquímica e de concepção de processamento químico e equipamentos.

A pirólise de pneus gera os seguintes produtos: óleo, gás, aço, carbono preto (negro do fumo). Além de oferecer a oportunidade de processar milhões de pneus por ano, de uma maneira econômica e ambientalmente sustentável, não produz resíduos que causam danos ao meio ambiente.

fonte:http://www.odocumento.com.br/

publicado por adm às 00:05

Março 22 2011

Do total de 98 000 toneladas de pneus que a Valorpneu recolheu em 2010, 94 373 referem-se a toneladas geradas no ano passado e 3 643 referem-se ao passivo de pneus. 18 657 toneladas foram reutilizadas (inclui-se a recauchutagem), 49 957 toneladas foram enviadas para reciclagem e o restante seguiu para valorização.«Este foi o ano em que reciclámos mais pneus, sendo que temos um nível máximo de recolha de mais de 100 por cento», refere Climénia Silva, directora-geral da entidade gestora.

Depois de ter terminado, em Fevereiro do ano passado, o processamento de todo o passivo de pneus usados dos Açores, num total de 5 439 toneladas, a responsável diz acreditar que o passivo da Madeira, de 900 toneladas, ficará resolvido este ano. «Vai ser feito um reencaminhamento para a própria região, o que não implica custos para a Valorpneu. Está previsto que, em 2011, este passivo na Madeira fique resolvido». A responsável sublinha ainda que, no caso do Continente, teoricamente já não deveria haver passivo, mas ainda existe algum, não registado, ao qual é preciso dar resposta.

Apesar do aumento da reciclagem dos pneus, um relatório da APA conclui que a Valorpneu, entre outras entidades, está com um desvio de mais de 10 por cento relativamente às metas, na reutilização e preparação para reutilização. Na resposta, Climénia Silva admite o desvio na meta, sublinhando, no entanto, que o problema passa pela má definição do objectivo. «Temos todos os recauchutadores dentro do sistema e o que produzem não chega para atingir a meta. É preciso sublinhar que a meta portuguesa é o dobro da meta europeia, o que a torna simplesmente inalcançável», admite a responsável.

Reutilização e inovação de mãos dadas

Há três anos que a Valorpneu decidiu apostar mais forte na reutilização, nomeadamente através de um prémio de inovação. No primeiro ano, o prémio foi atribuído a um projecto dedicado aos carvões activados: «Este é um trabalho interessante e que pode ter valor comercial. No entanto, falta ainda estudar a viabilidade do projecto. O vencedor e promotor desta ideia está a trabalhar na Valorpneu e tem colaborado no desenvolvimento de outros projectos», refere.

No segundo ano, o projecto vencedor foi um labirinto de pneus, sendo que já existe um acordo com a Câmara Municipal de Mirandela para materializar esta ideia, em princípio ainda este ano.

fonte:http://www.ambienteonline.pt/

publicado por adm às 22:15

Tudo sobre a Reciclagem
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
subscrever feeds
links