Reciclagem

Março 26 2011

A câmara municipal de Olhão e a Escola EB1/JI José Carlos da Maia estão a colaborar na recolha de rolhas de cortiça, no âmbito do «Projecto Green Cork», um programa de reciclagem desenvolvido pela associação ambientalista Quercus. 

Este programa de reciclagem, ao qual a autarquia olhanense se associou, conta ainda com a parceria da Corticeira Amorim, Continente e Biological. 

O objetivo passa não só pela “transformação das rolhas usadas noutros produtos”, como também “permitir o financiamento de parte do programa «Criar bosques, conservar a biodiversidade», que utilizará exclusivamente árvores que constituem a nossa floresta autóctone”. 

O município de Olhão, através do departamento de Qualidade de Vida, iniciou em março de 2009 um projeto para a recolha de alguns materiais recicláveis, que funciona no edifício das piscinas municipais.

Naquele local, existem vários contentores para a recolha de alguns materiais recicláveis, tais como pilhas, tinteiros, tampinhas e agora também rolhas de cortiça. 

Estas podem também ser depositadas na Escola EB1/JI José Carlos da Maia, em Olhão, parceira do município nesta iniciativa.

fonte:http://www.regiao-sul.pt

publicado por adm às 19:53

Março 25 2011

Um dado do IBGE diz tudo: apenas 8,2% dos municípios brasileiros fazem a coleta seletiva e só 6% reciclam o lixo. Uma iniciativa do Banco do Brasil, desenvolvida em parceria com a Fundação Banco do Brasil, Agência Nacional de Águas e WWF-Brasil, quer não só incentivar essas práticas como diminuir a pressão sobre os recursos naturais e proporcionar trabalho e renda aos catadores.  

Em função disso, cinco cidades brasileiras – Belo Horizonte (MG), Caxias do Sul (RS), Natal (RN), Pirenópolis (GO) e Rio Branco (AC) – foram selecionadas para um projeto-piloto que visa implementar um conjunto de ações relacionadas a consumo consciente e à reciclagem total de resíduos. A iniciativa prevê ainda ações em 14 microbacias hidrográficas, nos diferentes biomas brasileiros.  

 

A escolha desses municípios visou contemplar também as cinco regiões geográficas do País e de diferentes portes (até para avaliar como programa se adapta a eles). Pirenópolis (Região Centro-Oeste), por exemplo, tem 23 mil habitantes. Já Belo Horizonte (Região Sudeste), que tem população cem vezes maior - 2,3 milhões de habitantes.  

As ações a serem implementadas nas cidades-piloto vão permitir que os modelos desenvolvidos possam ser replicados nos demais municípios brasileiros, ajudando a diminuir a quantidade de resíduos que vai para os lixões. De acordo com Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza, superintendente de Conservação do WWF-Brasil, há muito a avançar. "A maioria dos municípios brasileiros não tem coleta seletiva ou reciclagem. Agora, poderemos construir o caminho para fazer esta transição", completou. 

fonte:http://eptv.globo.com

 

publicado por adm às 22:46
Tags:

Março 25 2011

O sistema, que recorre a uma “medida de carbono”, privilegiará a reciclagem de materiais cuja valorização apresenta mais benefícios em termos de emissões em comparação com a alternativa do envio para aterro.

Actualmente, e por toda a Europa, a selecção dos materiais a reciclar é feita com base no peso dos resíduos gerados, mas a Escócia está prestes a revolucionar o sistema adoptando, em alternativa, uma reciclagem focada nos resíduos que mais danos causam ao Ambiente, o que será avaliado através utilização de uma “medida de carbono”.

De acordo com estas novas orientações, e a partir de 2013, o papel, cuja reciclagem resulta em ganhos reduzidos no que toca às emissões carbono relativamente à alternativa do aterro, deixará de ser uma prioridade em termos de reciclagem, sendo substituído pelos resíduos da alimentação e os têxteis, que se revelaram mais “daninhos” no que toca ao Ambiente.

Este novo sistema tem em conta as emissões de carbono resultantes do processo de produção e pretende simultaneamente promover o manutenção do circuito de cada tipo de produto como um sistema fechado, em que, por exemplo, uma garrafa de plástico é reciclada em plástico que será utilizado para produzir uma nova garrafa.

Estas são as novas medidas anunciadas pela Escócia que se comprometeu, à semelhança de outros países-membros da UE a atingir em 2025 a meta de reciclar 75% dos resíduos em 2025.

fonte:http://naturlink.sapo.pt/

publicado por adm às 22:45

Março 23 2011

A Lipor encaminhou para reciclagem 58,5 mil toneladas de materiais, em 2010. Deste montante, cerca de 10,2 mil toneladas respeitam a embalagens plásticas e metálicas, 20,9 mil toneladas de papel e cartão, 19,4 mil toneladas de vidro e 7,9 mil toneladas de outros materiais, segundo a entidade.

«A reciclagem das 19 448 toneladas de vidro permitiu a poupança de mais 2,9 milhões de litros de petróleo; o encaminhamento de 20 911 toneladas de papel e cartão para reciclagem evitou o abate de cerca de 355,4 mil árvores», adianda a Lipor.

Na área geográfica da Lipor as infra-estruturas, equipamentos e serviços para a deposição selectiva dos resíduos contam com 21 ecocentros, cerca de 3565 ecopontos, e recolha selectiva porta-a-porta distribuída por dois municípios, abrangendo cerca de 50 000 habitantes.

fonte:http://www.ambienteonline.pt/
publicado por adm às 22:18

Março 22 2011

Do total de 98 000 toneladas de pneus que a Valorpneu recolheu em 2010, 94 373 referem-se a toneladas geradas no ano passado e 3 643 referem-se ao passivo de pneus. 18 657 toneladas foram reutilizadas (inclui-se a recauchutagem), 49 957 toneladas foram enviadas para reciclagem e o restante seguiu para valorização.«Este foi o ano em que reciclámos mais pneus, sendo que temos um nível máximo de recolha de mais de 100 por cento», refere Climénia Silva, directora-geral da entidade gestora.

Depois de ter terminado, em Fevereiro do ano passado, o processamento de todo o passivo de pneus usados dos Açores, num total de 5 439 toneladas, a responsável diz acreditar que o passivo da Madeira, de 900 toneladas, ficará resolvido este ano. «Vai ser feito um reencaminhamento para a própria região, o que não implica custos para a Valorpneu. Está previsto que, em 2011, este passivo na Madeira fique resolvido». A responsável sublinha ainda que, no caso do Continente, teoricamente já não deveria haver passivo, mas ainda existe algum, não registado, ao qual é preciso dar resposta.

Apesar do aumento da reciclagem dos pneus, um relatório da APA conclui que a Valorpneu, entre outras entidades, está com um desvio de mais de 10 por cento relativamente às metas, na reutilização e preparação para reutilização. Na resposta, Climénia Silva admite o desvio na meta, sublinhando, no entanto, que o problema passa pela má definição do objectivo. «Temos todos os recauchutadores dentro do sistema e o que produzem não chega para atingir a meta. É preciso sublinhar que a meta portuguesa é o dobro da meta europeia, o que a torna simplesmente inalcançável», admite a responsável.

Reutilização e inovação de mãos dadas

Há três anos que a Valorpneu decidiu apostar mais forte na reutilização, nomeadamente através de um prémio de inovação. No primeiro ano, o prémio foi atribuído a um projecto dedicado aos carvões activados: «Este é um trabalho interessante e que pode ter valor comercial. No entanto, falta ainda estudar a viabilidade do projecto. O vencedor e promotor desta ideia está a trabalhar na Valorpneu e tem colaborado no desenvolvimento de outros projectos», refere.

No segundo ano, o projecto vencedor foi um labirinto de pneus, sendo que já existe um acordo com a Câmara Municipal de Mirandela para materializar esta ideia, em princípio ainda este ano.

fonte:http://www.ambienteonline.pt/

publicado por adm às 22:15

Março 19 2011

A maioria dos municípios algarvios tem um serviço de recolha porta a porta de materiais recicláveis, em parceria com a Algar, que já abrange mais de mil restaurantes, bares, lojas e outros estabelecimentos comerciais. O serviço é gratuito e permitiu recolher no primeiro ano mais de duas mil toneladas de resíduos recicláveis que, de outra forma, poderiam acumular-se nas ruas junto aos ecopontos.

 

O município de Albufeira foi um dos primeiros a aderir ao projeto “Ambilinha”, há cerca de um ano, sendo já mais de 250 os estabelecimentos que aderiram à iniciativa apenas neste concelho.

O grande avanço deste projeto – que consiste na recolha porta a porta de papel, cartão, plástico e vidro – aconteceu em dezembro de 2010, com a adesão de vários municípios algarvios.

Neste momento, este serviço já abrange Faro, Tavira, Vila do Bispo, Olhão, São Brás de Alportel, Loulé, Castro Marim, Vila Real de Santo António e Lagos, totalizando cerca de um milhar de estabelecimentos da região. E, até ao verão, os responsáveis esperam que muitos outros venham a aderir na região.

O serviço é prestado pelos municípios em parceria com a Algar, empresa responsável pela valorização e tratamento dos resíduos sólidos, de forma completamente gratuita.

E o balanço desta iniciativa não podia ser melhor, adiantaram na semana passada os responsáveis da Algar, indicando que, só em Albufeira, “perto de 40 por cento materiais recicláveis recolhidos no mês de janeiro resultaram deste projeto”.

A ambição das autarquias é ir ainda mais longe, apelando aos responsáveis pelos estabelecimentos comerciais para que adiram rapidamente à “Ambilinha”.

Para isso, basta aos proprietários ligarem para o número 800300289 e acordar o horário e local de recolha dos resíduos…

fonte:http://www.jornaldoalgarve.pt/

publicado por adm às 23:09
Tags:

Março 19 2011

Os habitantes da cidade de Neustadt an der Weinstrasse pagam de acordo com a quantidade de resíduos que enviam para incineração. Este incentivo económico e a aposta na educação fazem com que estes cidadãos separem o lixo com rigor, tendo ultrapassado em 16% a meta de reciclagem definida.

A reciclagem é essencial para a sustentabilidade do modo de vida actual a longo-prazo e cada vez são mais os cidadãos que o reconhecem e que o põem em prática. A Educação é fundamental para incentivar à separação para posterior valorização de resíduos mas o exemplo da pequena cidade alemã de Neustadt an der Weinstrasse, revela que também é importante um incentivo económico.

Este pequeno centro urbano situado do Estado de Rheinland-Pfalz, no Sudoeste da Alemanha detém o recorde nacional no que diz respeito à taxa de reciclagem por habitante, que atinge os 70%, superior em 16% à meta do Estado e  Stepfan Weiss, um dos gestores de resíduos da cidade explica como foi conseguido.

Em Neustadt os cidadãos não pagam pelo lixo que separam tendo como fim a reciclagem, mas o município cobra-lhes de acordo com os resíduos produzidos que têm de sofrer incineração, de forma que quanto maior a proporção de resíduos gerados que é encaminhada para valorização, menor o gasto.

“Adoptámos este sistema de taxas em 2006 e funciona” explica Stefan Weiss que compara os resultados de Neustadt com o das cidades vizinhas com sistemas distintos, que chegam a produzir 100Kg de resíduos adicionais por habitante anualmente.

Outra razão do sucesso do sistema de gestão de resíduos de Neustadt está relacionado com o facto de os serviços serem assegurados por uma empresa intermunicipal criada para o efeito, o que lhes permite minimizar as despesas e obter, em certos anos, um ligeiro lucro, que é reinvestido no sistema.

Fonte: http://naturlink.sapo.pt/

publicado por adm às 23:07

Março 13 2011

A Algar, responsável pela recolha e tratamento de resíduos urbanos na região do Algarve, enviou cerca de 25 mil toneladas de resíduos para reciclagem, em 2010. Empresa sublinha participação ativa da população.

Os dados da Sociedade Ponto Verde (SPV) indicam que em 2010 a Algar enviou para reciclagem 24 883 toneladas de resíduos de embalagem provenientes de recolha seletiva, o que representa 78 toneladas por dia.

Estes dados indicam que a empresa algarvia atingiu os melhores resultados per capita de resíduos de embalagem enviados para reciclagem em Portugal Continental, pelo segundo ano consecutivo, e o segundo melhor a nível geral.

“Foi acima de tudo graças à participação ativa, empenhada e consciente da população algarvia que estes resultados puderam ser obtidos”, sublinha a Algar que refere ainda o sucesso das campanhas de sensibilização promovidas pela empresa.

No total foram encaminhadas para reciclagem 12 332 toneladas de Vidro, 9 164 de toneladas de Papel/Cartão e 2 108 toneladas de Plástico. Foram ainda encaminhadas 383 toneladas de metal e 896 de madeira.

fonte:http://www.observatoriodoalgarve.com/

publicado por adm às 21:32

Março 03 2011

A empresa norte-americana EcoATM criou uma espécie de multibanco, onde os utilizadores podem depositar os seus velhos aparelhos eletrónicos para reciclagem - como telemóveis, por exemplo - e receber em troca dinheiro ou vales de compras.

O processo é simples: os aparelhos inseridos na máquina são avaliados quanto ao seu valor financeiro. Os utilizadores ficam a saber quanto podem receber pelo artigo que dispensaram, podendo também usufruir de descontos na superfície comercial em que o ecoATM se encontra.

"Além de beneficiar os consumidores economicamente, o ecoATM tem também um valor inestimável para a sociedade em geral, ao ajudar a salvar o meio ambiente de toneladas de lixo eletrónico", refere Tom Tullie, presidente da empresa sediada na Califórnia, citado em comunicado.

De acordo com o mesmo documento, a população norte-americana adquire, todos os anos, 500 milhões de gadgets e a frequência com que os substituem é cada vez maior. 

"Infelizmente, existem poucas soluções eficazes para que os consumidores revendam ou reciclem esses aparelhos, o que faz com que a grande maioria acabe por ser despejada nas lixeiras municipais", explica a empresa.

A ecoATM já recebeu inúmeros prémios pelo desenvolvimento deste inovador equipamento, incluindo o galardão de Novidade Ecológica de 2010, atribuído pela revista Popular Science. 

fonte:http://www.boasnoticias.pt

publicado por adm às 22:21

Março 03 2011

Mais de 58.500 toneladas de materiais foram encaminhadas pela Lipor - Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto para a reciclagem em 2010, anunciou a entidade.

A Lipor afirma, em comunicado, que os cidadãos da sua Área de Intervenção -concelhos de Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valongo e Vila do Conde - separaram no ano passado 10.286 toneladas de embalagens plásticas e metálicas, 20.911 toneladas de papel e cartão, 19.448 toneladas de vidro e 7946 toneladas de outros materiais como madeiras e sucatas. 

A Lipor salienta que a reciclagem das cerca de 19.500 toneladas de vidro permitiram “a poupança de 2.917.200 litros de petróleo”, enquanto o encaminhamento das 20.911 toneladas de papel e cartão “evitou o abate” de mais de 355 mil árvores. 

Em dois municípios, existe ainda recolha selectiva porta a porta, que abrange um universo de cerca de 50 mil habitantes. 

Anualmente, a Lipor trata cerca de 500 mil toneladas de resíduos sólidos produzidos por um milhão de habitantes.

fonte:http://ecosfera.publico.pt/

publicado por adm às 22:20

Tudo sobre a Reciclagem
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
subscrever feeds
links